Marketing Empresarial: Por que o Facebook só não basta

Sou um entusiasta do Facebook como ferramenta de relacionamento, marketing e vendas. São mais de 1,59 bilhões de usuários ativos mensalmente. É a maior mídia social do mundo! Todo empresário deveria concentrar esforços em entender e utilizar o Facebook para negócios.

Entretanto, cabe uma pergunta:

Será que a comunicação de uma empresa com o seu público-alvo pode estar baseada somente no Facebook? Pode. Mas não deveria!

Isso acontece há muito tempo, mas um grande número de empresários ainda desconhece que o Facebook determina automaticamente como, quando, onde e quem vê os posts publicados.

comunicacao-empresarial-saiba-porque-o-facebook-nao-basta

O Facebook dá prioridade para publicações de perfis de amigos e não para páginas de empresas. O número de pessoas que vê as fotos de um jantar em família, por exemplo, é muito maior do que os que veem o post da sua empresa. Não necessariamente porque o álbum do jantar seja mais atraente, mas porque ele entra mais vezes na timeline dos amigos do que o post de uma empresa na timeline dos seguidores. Deu pra entender?

Além disso, o site dá prioridade também para as páginas que o usuário interage mais. Repare: quantas páginas você já curtiu e nunca mais viu uma publicação? Então você entra numa dessas páginas e percebe que diariamente eles estão publicando. Por que não aparece pra você? Porque você deixou de interagir com a página.

Logo, se alguém curte a fan page da sua empresa, mas não comenta, curte ou clica nas fotos, com o tempo as publicações da sua página desaparecerão para a pessoa.

Trabalho com Facebook Marketing desde 2012 e de lá para cá o alcance caiu absurdamente. Uma publicação que antes era vista por cerca de 40% dos seguidores, atualmente está na timeline de apenas 5% do público da página — sendo otimista. Ou seja, de cada 100 curtidores, em média, apenas 5 veem o que a sua empresa publica.

A lógica é simples: Quanto mais gente ativa numa mídia social, mais o aplicativo precisa filtrar a distribuição das postagens.

Isso aconteceu recentemente com o Instagram. Devido ao aumento do número de usuários, as fotos que antes eram vistas em ordem cronológica — as mais recentes primeiro, passaram a aparecer de acordo com as preferências do usuário (identificadas automaticamente pelo aplicativo e que nem sempre condizem com a vontade real do usuário).

Portanto, uma empresa que se arrisca a basear todas as suas ações de marketing online em uma única mídia social pode estar perdendo tempo e dinheiro produzindo conteúdos que ninguém vê. O ideal é elaborar um plano que envolva vários recursos e ferramentas, como a construção de um blog, a geração de uma lista de e-mails, o envio responsável de newsletters, e muitos outros. É importante também utilizar o Facebook e outras mídias, mas como braços de uma estratégia de marketing e não como o corpo inteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*